terça-feira, 27 de agosto de 2013

Nasch - Sorriso


     "E lá estava aquela menininha, tentando tirar a dor como se fosse uma touca da cabeça e não conseguindo, estava sofrendo. Foi apenas um tombo, ouvi alguém falar atrás de mim enquanto eu socorria a criança e me davam um sermão sobre cuidados.
Eu não estava ouvindo, alguma parte mais submissa talvez, mas eu não, não naquele momento enquanto levantava a pequena, lhe dava um abraço, que foi retribuído com mais choro e pedido de colo. Minuto passado e ela havia se acalmado e a voz da diretora ainda ribombava ordens de atenção. Eu tentava esconder algo, tentava esconder a tanto tempo numa máscara de bom mocismo, de obediência e parcimônia que não percebi o quão forte aquele sentimento era até minutos atrás..."

Eva

     Eva estava almoçando no refeitório, não havia muito o que se fazer quando você tem 4 anos num refeitório sozinha. Havia se atrasado por ter brigado com um garotinho dois anos mais novo que havia pego sua coelhinha de pelúcia e agora estava ali, comendo alguma coisa com alguma coisa, como definira a comida da escolinha para mamãe. 
Quase acabando e o corpo pendeu para trás, como se puxado, mas não havia ninguém perto, além do tio da limpeza mas ele estava longe. Tudo foi claro e limpo: ela estava caindo, o homem que limpava o chão naquele momento largou a vassoura, deu alguns passos e parou, olhos bem abertos absorvendo tudo e tudo foi ficando torto na visão de Eva até a cabeça reverberar um baque e começar a doer e doer e doer...

Nasch

     Trabalho monótono.
     A manhã inteira havia feito toda a rotina: limpa campinho, limpa calçada, limpa salão, limpa mesa, limpa salas e agora estava ali limpando o chão do refeitório. Uma menina estava ainda comendo, havia brigado com outro pequeno, castigos pra outros, nunca para os culpados.
     A vassoura se arrastava chep chep chep, juntando pratos de restos que estavam caídos no chão, desperdício que nenhum pai contabiliza, que nenhum governo contabiliza mas que ele contabilizava inutilmente enquanto varria o chão branco.Branco. Outra inutilidade estética.
     Entre uma ação e outra o olhar mudou para a menina.
     Ela ia cair.
     Largou a vassoura, que dançou tentando resistir a gravidade dos fatos mas caiu impotente, Nasch deu só mais dois passos e parou...
     Ela ia cair. E isso era bom.
     Cada segundo depois daquele foi sendo registrado na mente dele: o corpo indo pra trás, o olhar de incompreensão da menina do porque estar caindo e toda a trajetória até o impacto da cabeça contra o inútil piso branco. Nasch viu tudo isso em detalhes, como se fosse algo sendo mostrado, exclusivamente para ele, e ele estava gostando.
     Ela estava caindo e isso é maravilhoso, assustador e interessantíssimo.
     Ela CAIU e nada foi feito.
     O torpor em que estava embebido evaporou com os gritos de ordem da chefe, outra figura estética inútil em sua opinião, quando finalmente correu até a menina e a amparou.
Por que?, perguntou-se ao perceber o leve sorriso desenhado em seu rosto.


_________________________________________________________________________________

Gostou?Quer continuação? Quer que pare?
Então dê sua opinião sobre esse texto aqui no blog ou em nossos contatos:
Facebook: https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias
Email: catadoresdereliquias@hotmail.com

Muito obrigado pelo apoio e companhia! Bye!

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

PREVIEW do que VIEWrá (piada ruim da p#$%*@!)

Oláááááááá pessssssoiiiiinnhas do meuuuuuuu coraçãããããoaooooooo!

Aqui é Fabrício Barros e este é o Catadores de Relíquias tentando reorganizar a bagunça desse blog do cascalho!! Hoje quero deixar no post só as imagens do que virá nesse mês. Ritmo novo por causa dos compromissos que vão aparecendo como blocos de Tetris. Eu vou escrever uma vez por semana ao invés de duas (como eu realmente gostaria). Talvez assim eu possa trazer conteúdo mais significativo para vocês leitores fiéis desta bagaça!!! 

Fico por aqui, lembrando vocês de que se quiserem, assinem o feed do blog, curtam nossa página do Facebook, comentem aqui no blog, ou nos mandem um e-mail para catadoresdereliquias@hotmail.com.
Até o próximo post and BYE!


Autismo


Capitão Sky e o Mundo de Amanhã


Final Fantasy 7


Yu Gi OH 5D's



sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sherlock , Serialmente Elementar!

Falem peoples! (Peoples!)
Falem de novo! (De novo!)
... (...!)

Bem, estamos aqui para mais um post do Catadores de Relíquias! Eu sou Fabrício Barros e hoje, a pedidos do nosso livreiro (que está viajando e pesquisando, ossos do oficio) eu estou aqui, mas não vamos falar sobre livros, mas sobre uma das series mais inteligentes (em execução e adaptabilidade) da atualidade: Sherlock. (que é baseado num livro, oras!).
Elementar, meu caro leitor, que como sempre pedimos que você assine o feed do blog, comente aqui se você achou algo errado, ou se quer que algum tema ou elemento seja revisitado mais profundamente, que curta nossa página no Facebook : https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias e se quiser algo mais intimo e caliente, você pode nos mandar um e-mail para catadoresdereliquias@hotmail.com.
Agora vamos à cena do crime!



Ontem e hoje

Antes de qualquer coisa, vamos conhecer mais sobre quem é Sherlock Holmes:

Sherlock Holmes, criado pelo escocês Sir Arthur Conan Doyle, apareceu pela primeira vez na história "Um Estudo em Vermelho", editada pela revista Beeton's Christmas Annual no Natal de 1887 e, desde então, tem fascinado muita gente, sendo o personagem da literatura mundial que recebeu o maior número de adaptações, estudos e especulações. Doyle acabou por criar um personagem que apaixonou em pouco tempo o mundo inteiro. Leitores juvenis, adultos e velhos de todos os idiomas adquiriram o vício de Holmes, transformando esta figura de ficção numa espécie de psicotrópico, que vem funcionando para as multidões há mais de cem anos.



E uma destas adaptações é justamente o tema deste post: Sherlock, série inglesa da BBC, atualmente com duas temporadas de 3 episódios cada (e com uma terceira sendo produzida). Apesar do tamanho reduzido de episódios, cada um deles tem 90 minutos de duração (mais ou menos um longa metragem) ele consegue não cansar e deixar o espectador atento a cada reviravolta ou  teoria dedutiva que o personagem principal nos apresenta.
Um diferencial, foi a utilização de tecnologia atual dentro da história de um modo inteligente e plausível dentro daquele mundo, celulares, smartphones, notebooks estão a disposição de Sherlock e Watson (que ao invés de escrever para um jornal sobre as aventuras com Holmes por exemplo, agora ele tem um blog).
Há N referências e saídas criativas para algumas situações do cotidiano politicamente correto, como o cachimbo fumacento que Holmes usava em suas meditações, na série ele usa adesivos de nicotina colados no corpo (vários!).

Atores:

Sherlock Holmes é interpretado, de modo excelente, por Benedict Cumberbatch (Além da Escuridão: Star Trek, 2013), com uma voz forte e veloz as vezes deixa o espectador atordoado em meio as conjecturas do personagem, que parece ter um orgulho de seu raciocínio dedutivo exposto no olhar e gestos firmes do ator.

John Watson, que na atualização da série é um ex-médico-combatente da guerra do Afeganistão, é interpretado por Martin Freeman (O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, 2012), que dá ao personagem toda carga de dores e limitações, como ser manco ou a dificuldade em ter uma vida normal depois da guerra, assim como a frieza de um soldado, quando se faz necessário.


Steven Moffat e Mark Gatiss

Essa dupla é um tópico a parte pois eles são os produtores da série, e já haviam trabalhado em outra excelente série: Doctor Who (que está, ou estava, sendo exibida pelo Canal Cultura). Em 2010, a dupla, começou o recrutamento de atores para a série e em meio a várias dificuldades, como encontrar atores que interpretariam Sherlock e Watson ou o temor do primeiro episódio piloto (que havia sido programado para ser exibido meses antes , com 60 minutos, mas foi abortado e refilmado chegando ao primeiro episódio, esse com 90 minutos Um Estudo Em Rosa (A Study in Pink).
Para os dois, Sherlock é uma adaptação ousada, se comparada a outras séries que já adaptaram a obra de Sir Arthur Conan Doyle. Talvez pela roupagem atual, assim como os problemas e defeitos que os personagens apresentam, que também são atuais( como a depressão de Watson no pós-guerra ou a ,digamos, quase síndrome de Asperger que afeta Holmes) . Um estilo de roteiro ágil que permite explorar várias facetas do mundo atual, tanto situacional, quanto tecnológico, e porque não ético das pessoas.


Finito!

Não vou me alongar mais, não que a série não mereça, futuramente podemos voltar a série com spoilers free e podendo comentar mais a fundo sobre a história, outros personagens excelentes e curiosidades.Espero que possa ter apresentado a série a vocês decentemente, que vocês possam correr atrás e se divertir com Sherlock .
Mais uma vez obrigado pelo apoio que nos dão (essa semana foi um tanto quanto conturbada, com vários atrasos) E mil desculpas pelas mancadas ou atrasos que acontecem, aconteceram e acontecerão. É isso aí! Mais uma vez peoples. Bye!

Acessem:
http://www.sherlockbrasil.com/ - Excelente site com referencias sobre o personagem e as obras de Sir Arthur Conan Doyle.

Leia: (Wikipédia)





segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Já dizia o velho deitado...

Bem vindos a mais um post do Catadores de Reliquias! (EEEEEEEE \o/)

Eu sou Fabrício Barros e hoje vamos sentar no banco da praça pra ver alguns ditos populares. Não vamos deixá-lo tomando um chá de cadeira, imaginando minhocas na cabeça sobre o que é este post. Então eu vou parar de dar uma de João sem braço e de encher linguiça para pedir que você, leitor querido, comente aqui no blog, curta nossa página o Facebook ( https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias ) , assine o feed se quiser (nós deixamos, pode assinar tranquilo) ou nos mande um e-mail para catadoresdereliquias@hotmail.com porque vocês tem a faca e o queijo nas mãos!
E antes que eu marque touca, chore pelo leite derramado e pague o pato por minha ignorância, quero agradecer mais uma vez o apoio que vocês tem nos dado, seja nas visualizações ou as curtidas nos posts, ou nos toques que tem me dado pessoalmente. Muito obrigado mesmo! É simples, mas tentamos fazer com o maior zelo possivel. Agora eu vou tirar água do joelho pra não entrar pelo cano e passar a maior vergonha aqui em casa. Espero que gostem e BYE!


Pagar o Pato
(tomar um prejuízo)


Chorar Pelo Leite Derramado
(lamentar-se por um erro passado)


Marcar Touca
(perder a oportunidade)


Com A Faca E O Queijo Nas Mãos
(ter o controle da situação)


João Sem Braço
(fazer-se de desentendido)


Ficar Com Minhocas Na Cabeça
(ficar imaginando coisas)


Entrar Pelo Cano
(se meter em um grande problema, se dar mal)


Tirar Água Do Joelho
(urinar, fazer xixi, pipi)


Tomar Chá De Cadeira
(ficar esperando muito tempo)


Segurar Vela (já fiz muito isso T.T)
(atualmente é a pessoa que fica sobrando quando saem casais de namorados)


Bater As Botas
(morrer, falecer)


Procurar Pelo Em Ovo
(procurar problemas onde não há nada)


Encher Linguiça
(enrolar em algo, procrastinar uma situação ou ato)

PS1: Essa é especial, pelo Segurar Vela:
Na Idade Antiga e Média, as pessoas acendiam velas para fazer suas atividades noturnas como, por exemplo, jantar, tomar banho, entre outras. Na Idade Média, as pessoas que eram designadas ao trabalho braçal seguravam as velas para que seu senhor enxergasse o que fazia. 
Em eventos e estabelecimentos que só funcionavam à noite, colocavam garotos para acender e segurar velas. Essa expressão também era usada para definir o trabalho desempenhado por criados que seguravam candeeiros para que seus patrões pudessem ter relações sexuais com luz, porém durante todo o ato sexual eles deveriam manter-se de costa de forma a não invadir a privacidade do casal. 

A Linha Cruzada do Isaac

 Ééééééé issso aíííííí´Peoples!!!!

 Mais um post (atrasado, olhem só!) nessa semana. Eu sou Fabrício Barros e este é o Catadores de Relíquias indo às profundezas com o pequeno Isaac, no jogo The Binding of Isaac.
Lembrando, que você pode se inscrever no feed do blog, no botãozinho aqui ao lado direito do seu monitor e sempre ser atualizado sobre novos posts que estão saindo; se quiser ou puder curta nossa página no Facebook : https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias; deixe seu comentário aqui ou no nosso e-mail: catadoresdereliquias@hotmail.com.
Vamos agora ao porão!



The Binding of Isaac é um jogo independente, criado por Edmund McMillen e Florian Himsl. No ano de 2011 o jogo foi lançado na plataforma Steam, tem uma história original, para algumas pessoas que conversei até meio agressiva e um visual único. O estilo do jogo é muito parecido com os Zeldas mais antigos, até pelo tipo de visão e a divisão em salas para se explorar e enfrentar inimigos.

Jogando:

Você controla Isaac, pelado (ou nu se você preferir) e chorando, em suas andanças por, inicialmente, um porão com inúmeros seres deformados. Você controla Isaac pelas letras WASD no teclado e atira com as setas direcionais (ele atira lágrimas nos inimigos, o que é meio emo, mas tranquilo na situação dele) ele é como um tanque, a cabeça se move independente do corpo, o que apesar da impossibilidade física, permite que você possa correr para um lado e atire para o lado do inimigo que o está perseguindo sem muitas complicações, por exemplo (e que te ajuda para caramba). Tive minha estranheza inicial mas hoje eu vejo como liberdade de movimentação, e que só adiciona ao jogo. Os mapas do jogo são criados randomicamente, tanto as disposições de salas no mapa geral, quanto como elas são sala por sala, o que torna jogos sempre únicos.
Conforme você avança no jogo você consegue alguns upgrades, apesar de visualmente estranhos como o batom ou a calcinha da mãe de Isaac, que se tornam itens de coleção e que você pode ver no menu inicial, são dezenas.Além de destravar segredos quando se atinge algum objetivo, seriam os Achievements do jogo. 


História:

Isaac e sua mãe vivem sozinhos em uma pequena casa na colina
Isaac se desenhava fazendo desenhos e brincava com seus brinquedos
Enquanto sua mãe assistia programas religiosos na televisão
A vida era simples, e ambos eram felizes
Isso foi até o dia que a mãe de Isaac ouviu uma voz, de cima:
'Seu filho se tornou corrompido pelo pecado, ele precisa ser salvo"
"Eu farei o meu melhor para salvar ele, meu senhor", respondeu a mãe de Isaac
'Corre para o quarto de Isaac, removendo tudo que é mau de sua vida"
Algum tempo depois, de novo a voz a chamou...
'A alma de Isaac ainda está corrompida,ele precisa ser afastado de tudo que é mau neste mundo...e confessar seus pecados"
"Irei seguir suas instruções senhor, eu tenho fé nelas", respondeu a mãe de Isaac.
Então ela trancou Isaac em seu quarto, longe dos males do mundo.
E pela última vez, a mãe de Isaac ouviu a voz chamando por ela:
"Você fez como eu pedi, mas eu ainda questiono sua devoção a mim, para provar a sua fé eu pedirei mais uma coisa a você"
"Sim, meu senhor, qualquer coisa", implorou a mãe de Isaac.
"Para provar seu amor e devoção, eu exijo um sacrificio... seu filho Isaac, será esse sacrificio... vá até seu quarto e acabe com sua vida, como oferenda a mim para provar que me ama acima de qualquer coisa"
"Sim senhor", ela respondeu, segurando uma faca de açougueiro da cozinha
Isaac assistindo por uma rachadura em sua porta... tremendo de medo
Se debatendo ao redor de seu quarto procurando um lugar pra se esconder... ele nota um alçapão para o porão escondido abaixo de seu carpete.
Sem hesitar, ele abre a escotilha bem no momento que sua mãe arrebenta sua porta e se joga para as desconhecidas profundezas abaixo.

Essa é uma tradução (se estiver ruim me desculpem,ou não) da abertura do jogo (que também está aí em cima pra você assistir) e sinceramente ela dá toda a idéia do jogo: Você está tentando sobreviver fugindo da mãe de Isaac, que após ouvir uma voz superior, tenta assassinar o próprio filho, oferecendo-o como sacrificio. A ideia é sobreviver até o final, onde o inevitável confronto entre os dois ocorre. Para muitos é uma história definitivamente agressiva, principalmente com as semelhanças, ou referencias, à histórias bíblicas.
Em minha opinião, a história, independente de quão profundo ela provoque ou a quem ela provoque, não influencia no jogo em si, nesse caso ela te dá uma situação inicial e previsivelmente você já sabe que enfrentará a mãe de Isaac no final, até ai tranquilo (isso levando em conta que para mim ao menos, as referencias ou citações religiosas não influenciam, apesar de interessantes da maneira como foram usadas) . A situação dele é escrota e horrível, sim é, mas é justamente indo em frente e se tornando mais forte que as coisas podem melhorar.No final das contas você percebe que a história é só uma pitada de tempero no conjunto.

Replay:

Aí chegamos num ponto que divide um pouco as pessoas que já jogaram.
Você não tem checkpoints, ou savepoints durante a jogatina, sua vida pode ser aumentada com alguns upgrades, mas se você morrer no último andar por exemplo, seus upgrades são adicionados à coleção e você vai começar novamente tudo do inicio. Sinceramente eu fiquei um pouco frustrado no começo, mas depois desencanei. Já tenho algumas dezenas de horas no jogo e não zerei ele nenhuma vez, e isso não é um ponto negativo, ao contrário, me tirou o compromisso de acabar o jogo (que esqueci de falar que  tem em torno de 13 finais, isso não considerando a DLC, Wrath of the Lamb) além de mais personagens que podem ser disponiveis realizando alguns requisitos.

Finalmentes:

The Binding of Isaac é um jogo que eu pessoalmente recomendo pela diversão descompromissada que ele oferece, se você é daqueles que jogam pelo desafio de completar tudo, ele vai ser um desafio considerável, se você quer só se divertir por um tempo ele é bem vindo mesmo em jogadas mais curtas. Não é um jogo perfeito, mas se encaixa no perfil de qualquer tipo de jogador. Além de ser barato, quando comprei o jogo ele saiu por R$ 8,49, o DLC (que adiciona muita coisa), custou R$ 1,89, pelo que me lembro na Steam (beijos Steam, sua linda).

Quero agradecer a todos pelo apoio, que vocês possam dar uma chance a esse jogo, se divirtam e é isso aí. Obrigado e BYE!

PS1: Se houver algum erro sobre o jogo no post, comentem para que eu possa corrigir. Thanks.





sábado, 10 de agosto de 2013

Pausa para o Café (Don't Press Start)

People de meu coração!  ^^/

Coisas acontecem na nossa vida numa velocidade alucinante, e as vezes perdemos algumas coisas. Hoje nem eu nem os Catadores de Reliquias vão a lugar algum, por motivos de cunho pessoal, não houve o  post desta sexta-feira. Sinceramente pensei em publicar algo hoje pra compensar e tals. Mas eu não quero oferecer um conteúdo corrido para vocês que nos acompanham nesse pouco tempo em que existimos. Próxima semana, nós voltaremos com os posts normalmente (pelo menos com um post duplo, pra chutar o pau da barraca!).Quero agradecer a todos pela compreensão e pelo apoio.

PS1: Obrigado mesmo people.

PS2: Tive uma aula sobre fabricação ou confecção (se é que posso chamar assim) de cerveja artesanal (quem me conhece sabe que não bebo, mas a idéia, o processo e toda a ciência que envolve o assunto é muito interessante). 

PS3: Por mim, vai ter um post sobre cerveja artesanal aqui no Catadores... aguardem.

Sem mais, Bye!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Livreiro dos Catadores de Reliquias

Olá,olá,olá, peoples queridos de meu coração!

 Hoje, o Catadores de Relíquias dá um passo de gigante, com o primeiro post do Livreiro do blog, Roger Figlie, toda quarta-feira, um novo post com indicações maraviwonderfulicas desse mundo maravilhoso que é a literatura. Seja bem vindo ao blog Roger! (EEEEEE \o/).

Mas não esquecendo (ou sempre lembrando): Assine o feed do blog (é rapidinho, aqui do lado direito);  curta nossa página do Facebook: https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias; deixe seu comentário aqui mesmo no blog ou fale conosco pelo e-mail: catadoresdereliquias@hotmail.com . Boa leitura. Bye!


-Bem...........

-Interessante................

-Legal esse ambiente cinza meio retrô .......

- Quantas reticências não ??????????????

     Olá a todos, meu nome é Roger Figlie e estou aqui graças a meu amigo Fabrício, que me cedeu  espaço no blog. Desde pequeno fui criado com o hábito da leitura, e ainda hoje acho que os livros são nossas maiores relíquias. Interessante como algo inanimado como um livro pode ter tanta vida, podendo nos fazer rir, chorar, ficar com medo, além de  nos ensinar tantas coisas. Há aqueles que digam que o livro é algo ultrapassado, claro hoje em dia pode-se ler o que quiser na internet, ou ainda baixar e ler num eBook. mas para mim nada substitui um bom e velho livro, ainda mais aqueles com  um bom cheiro de velho.

     Hoje vou falar de um livro que acredito ter resgatado de um fim terrível. Estava olhando a área de exatas em uma livraria e lá o vi sozinho em uma prateleira sem nenhum outro livro, parecia que o haviam largado lá, ele estava inclusive meio empoeirado. Quando olhei o nome do livro, uma interrogação veio à minha cabeça:


     Pensei comigo mesmo: “Peraí, você esta falando serio?” Peguei o livro e dei uma folheada rápida ( do tipo que decide o destino do livro). O livro mostrava como eram classificadas as nuvens e um pouco de ciência metereológica, mas não era carregado de termos técnicos e parecia fluir meio que como uma história. Bem, o livro havia passado no teste, então  peguei-o e direcionei-me aquelas máquinas em que mostram o preço dos itens, e para meu encanto vi o preço de R$9,90. Pensei novamente: “Estão quase pedindo pra alguém levar esse carinha embora daqui.”. E foi isso que eu fiz, peguei ele e me dirigi  ao caixa da loja.

     Ainda não terminei de ler o livro, mas acredito já ter uma opinião formada sobre ele. O autor  Gavin Prettor-Pinney é um apaixonado por nuvens desde pequeno, e em 2004, ele criou uma associação para os apreciadores de nuvens. Com o tempo, no site  da associação, os visitantes começaram a pedir ao autor um livro de referência para observar nuvens, já que os livros existentes no mercado eram voltados ao público especializado. Desta forma nasceu o guia para o observador de nuvens.

      Pinney consegue passar ao leitor  seu amor por nuvens com sucesso.Cada tipo de nuvem é tratado como um personagem tendo sentimentos e ações próprias.O livro ganha pontos por ser diferente, é um daqueles livros que nos mostra que não sabemos de tudo nesse mundo, nos dá uma injeção de humildade. Ganha mais pontos ainda por ser um livro relaxante de se ler, pois não sendo um livro técnico, as explicações de cunho cientifico são regadas de bom humor e de um tratamento cheio de sentimento. O livro contém também algumas histórias relacionadas com nuvens, como a do aviador que acabou preso dentro de uma nuvem de tempestade ao ejetar-se do seu avião.

     Aqueles que tiverem interesse por conhecer mais sobre o assunto podem além de ver o livro acessar o site da associação dos apreciadores de nuvens criado pelo autor.:


     E aqui segue uma das fotos do site que achei muito bonita:

     Pôr do sol sobre Punaauia, na costa oeste do Tahiti.


Fonte: http://cloudappreciationsociety.org/gallery/#p=1&i=20

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Do Baú... ao Baú !

Faaaaaalllaaaaa Peoples!

Estamos aqui para mais um post semanal. Eu sou Fabrício barros e este é o Catadores de Reliquias indo de galho em galho pela lógica dos baús (???). Esse post parece uma encheção de linguiça (e é) mas é fruto de uma extensa pesquisa (Muito obrigado por existir Wikipédia, já considerada a mãe dos burros, porque o pai é o dicionário). Espero que você viaje na maionese e encontre o fio da meada dentro desse labirinto.
E não esqueçamos do básico:

1 - Assine o feed do blog (aqui do ladinho direito, ó)

2 - Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias

3 - Deixe sua opinião maraviwonderfulica aqui nos comentários ou pelo e-mail: catadoresdereliquias@hotmail.com

4 - Seja feliz ^^b (use xícaras, com moderação)

Sem mais contratempos, vamos começar a viagem-vertiginosa-vertical-vegetariana-vanusiana (CHEGA!)

Baú

O baú é uma das formas mais antigas de mobiliário. É uma estrutura tipicamente retangular, com quatro paredes e uma tampa móvel. O espaço interior pode ou não ser dividido. Era usado principalmente para armazenagem de roupas finas, armas, comida e itens de valor.O baú é popularmente referido a uma caixa de madeira retangular de tampa arredondada onde se guarda tesouros.

Tesouros

Tesouro (sob o ponto de vista jurídico) é um depósito antigo de coisas preciosas (por exemplo: dinheiro, jóias, pedras e metais nobres), oculto e de cujo dono não haja memória.1 Em outras palavras, tesouro é a coisa valiosa perdida há tanto tempo que já não se sabe quem é o dono.Locais ermos como montanhas ou cavernas são locais mais suscetíveis a aparição de tesouros, sendo geralmente marcados com sinais discretos ou formações reconhecíveis de pedras.

Pedra do Baú

Pedra do Baú, também conhecido como Complexo do Baú, é um importante conjunto de rochas localizado no município de São Bento do Sapucaí, estado de São Paulo, Brasil. O ponto culminante é a Pedra do Baú, famoso por abrigar algumas das mais importantes rotas de escalada esportiva e também de longa duração (conhecidas como big-walls). É formado pelo Bauzinho, Pedra do Baú e Ana Chata.

Chata

Indivíduo de companhia ou convivência desagradável, inconveniente, desinteressante, não só pela obviedade e previsibilidade, com também pela falta de conteúdo de suas afirmações. Estorvo. Aquele que causa incômodo ou tédio.

Tédio

O tédio é um sentimento humano descrito como um estado de falta de estímulo, ou do presenciamento de uma ação ou estado repetitivo - por exemplo, falta de coisas interessantes para fazer, ouvir, sentir etc. As pessoas afetadas pelo tédio consideram este estado muitas vezes como  perda de tempo, mas geralmente, não mais do que isto. Alguns acham que ter tempo de sobra também causa tédio. Para as pessoas entediadas, o tempo parece passar mais lentamente do que quando elas estão entretidas. Tédio também pode ser um sintoma da depressão.

Depressão de 1929

Foi a mais grave crise econômica mundial do século 20. Tudo começou por causa de um grande desequilíbrio na economia dos Estados Unidos. Durante a década de 1920, houve um rápido crescimento do mercado de ações no país, com os americanos investindo loucamente nas bolsas de valores, acreditando que elas se manteriam sempre em alta. Cidadãos comuns vendiam as próprias casas para comprar ações, atrás de um lucro fácil e, teoricamente, seguro. No entanto, em meados de 1929, a economia do país começou a dar sinais de que as coisas não iam tão bem assim. Os Estados Unidos entraram em recessão (queda no crescimento econômico) e muitas empresas haviam se endividado além da conta durante o período de euforia. Em outubro de 1929, diante desses sinais negativos, os preços das ações desabaram, provocando a quebra da Bolsa de Valores de Nova York.

Nova York

Nova Iorque ou Nova York (em inglês: New York) é a cidade mais populosa dos Estados Unidos e o centro da Região Metropolitana de Nova Iorque, uma das áreas metropolitanas mais populosas do mundo. É também a terceira cidade mais populosa da América, atrás de São Paulo e Cidade do México. Nova York abriga a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), sendo um importante centro para assuntos internacionais e amplamente considerada como a capital cultural do mundo. A cidade também é referida como Cidade de Nova York para distingui-la do estado de Nova York, do qual faz parte.Localizada em um dos maiores portos naturais do mundo, Nova York é composta por cinco distritos: Bronx, Brooklyn, Manhattan, Queens e Staten Island, que pode ser acessada por uma pequena viagem de balsa.

Balsa

Balsa, ferry boat ou ferribote é uma embarcação de fundo chato, com pequeno calado, para poder operar próximo às margens e em águas rasas, e grande boca, muitas vezes utilizada para transporte de veículos.No Brasil uma das mais lembradas é a travessia de balsa do Rio-Niterói.

Rio -Niterói

Onde  um rapaz, ex-paraquedista do exército, viu uma oportunidade dentro das viagens monótonas que fazia diariamente.Então, para animar a balsa, colocou caixas de som com música ambiente, bailarinas e começou a vender refrigerantes. Nos intervalos, fazia propaganda de diversos anunciantes. Ficou algum tempo nessa vida até mudar-se para São Paulo, conhecer outro homem, chamado de Manuel de Nóbrega e com ele começar uma empresa com uma ideia inovadora para a época: o carnê do Baú da Felicidade.

Baú da Felicidade

O Baú da Felicidade foi uma empresa brasileira, pertencente ao mega-empresário Senor Abravanel, o Silvio Santos(lembra do ex-paraquedista, então).O cliente do Baú adquiria um carnê, chamado Carnê de Mercadorias, e que deveria ser pago mensalmente (rigorosamente em dia), e concorria a sorteios de prêmios. Após um prazo determinado, o cliente poderia trocar o valor pago por mercadorias à sua escolha nas lojas do Baú.Criada em 1958 e extinta em abril de 2013.Deixando milhares de cortinas, lençóis e cobertores guardados para posteridade, num baú.

Muito obrigado (eu sei, eu sei) e mandem sugestões também de termos que vocês querem que viajemos (dê-nos um desafio!) e até o próximo post. Bye!!!!!



sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Desenhos Para Lembrar (ou assistir, você decide)

Peoples Meninos e Peoples Meninas (e entre os dois também)! Sejam Bem Vindos !!!

SSSSSSSSIIIIIIIIIMMMMMMMMM!!!!

Mais uma semana e mais um post para um final de semana Foreverulico Maraviwonderástico!

Eu sou Fabrício Barros e este é o Catadores de Relíquias, entrando na máquina do tempo e indo ver de novo os desenhos animados que já dão saudade! Se você já viu algum dos desenhos citados ou acha que algum falta, mande seu comentário aqui em baixo, você também pode mandar um e-mail para catadoresdereliquias@hotmail.com , listando toooodos os desenhos animados que você já viu e que você acha que deveriam estar aqui (e que não caberiam num simples comentário).
Então sem mais,agora, vamos a um passado distante...


Tico e Teco e os Defensores da Lei
Criado em: Março de 1989
Encerrado em: Novembro de 1990
65 Episódios (3 Temporadas)
Curiosidade: Na segunda temporada do desenho, especificamente os primeiros cinco episódios (To the Rescue, ou Ao Resgate no Brasil) são na verdade um longa metragem, que havia sido dividido em 5 partes. Os outros episódios dessa temporada tem 22 minutos cada.

Duck Tales - Os Caçadores de Aventura
Criado em: 1987
Encerrado em: 1990
100 Episódios (4 Temporadas)
Curiosidade: Com alguns esforços e cálculos (e algumas boas pesquisas no Google), pode-se descobrir quanto Tio Patinhas tem guardado em seu caixa-forte: 400 bilhões , valor corrigido e atualizado desde os anos 40 quando o personagem começou sua fortuna.

As Aventuras de Tintin
Criado em: 1991
Encerrado em: 1992
39 Episódios (3 Temporadas)
Curiosidade: Frequentemente em cada episódio é possível ver a aparição de um homem loiro e narigudo como figurante em algumas cenas. Esse homem não é nada mais que o próprio criador da série Hergé em uma forma de caricatura aparecendo nas cenas.

 Babar
Criado em: Março de 1989
Encerrado em: Dezembro de 1991
78 Episódios (6 Temporadas)
Curiosidade: Babar é originalmete o protagonista de um livro ilustrado chamado L'Histoire de Babar, escrito por Jean de Brunhoff, e a história teria sido inspirada pela esposa do escritor, que contava aos filhos histórias fantásticas antes de dormir.

Doug
Criado em: Agosto de 1991
Encerrado em: Junho de 1999
117 Episódios (4/3 Temporadas)*
Curiosidade:  A ideia para o "Homem Codorna", um super herói que o protagonista imagina em alguns episódios, foi baseada em um super-herói inventado pelo criador da série, Jim Jinkins, quando ele era mais novo.

O Fantástico Mundo de Bobby
Criado em: Setembro de 1990
Encerrado em: Fevereiro de 1998
82 Episódios (8 Temporadas)
Curiosidade: As vozes em inglês de Bobby e de seu pai, Howard, eram feitas pela mesma pessoa: Howie Mandel, ator e criador da série.

Inspetor Bugiganga
Criado em: Setembro de 1983
Encerrado em: Fevereiro de 1986
86 Episódios (2 Temporadas)
Curiosidade: Inspetor Bugiganga é uma série de origem multinacional, sendo do Canadá, Alemanha, Estados Unidos, Japão, França e Reino Unido respectivamente atribuído sua origem. Mas só em Portugal, o desenho foi exibido por cinco canais diferentes em várias épocas.

Samurai Jack
Criado em: Agosto de 2001
Encerrado em: Setembro de 2004
52 Episódios (4 Temporadas)
Curiosidade: Um mito criado por muitos fãs é de que o mundo que Jack está, seria do mesmo universo das Meninas Super Poderosas, só que em um futuro distante e pós apocalíptico, por vários detalhes encontrados nas duas séries. (Bizarro!)

Os Caça - Fantasmas
Criado em: Setembro de 1986
Encerrado em: Outubro de 1991
147 Episódios (7 Temporadas)
Curiosidade: O 'The Real" adicionado no nome do desenho foi posto para diferencia-lo de outro desenho também chamado Ghostbusters, aqui em terras tupiniquins chamado de Trio Calafrio.

Thundercats
Criado em: 1985
Encerrado em: 1990
130 Episódios (4 Temporadas)
Curiosidade: A animação foi produzida pela Pacific Animation Corporation, grupo de estúdios japoneses, dentre eles a TopCraft, que se tornaria mais tarde o Studio Ghibli, que faria A Viagem de Chihiro, O Castelo Animado, entre outros muitos.

Caverna do Dragão
Criado em: 1983
Encerrado em: 1986
27 Episódios (3 Temporadas)
Curiosidade: O capitulo final "Requiem", cujo roteiro oficial existe, mas não foi animado, tem uma série de quadrinhos, feita em 2010 nos quais Reinaldo Rocha, cartunista brasileiro transpõe o episódio numa  webcomic disponível para download.

Pole Position
Criado em: Setembro de 1984
Encerrado em: Dezembro de 1984
13 Episódios (1 Temporada)
Curiosidade: Além de que o desenho era passado em looping nas manhãs do SBT para tapar buracos, não tem mais nada não. Mas a música é maneira. (Pole Positioooon....!)

Lucky Luke
Criado em: 1983
Encerrado em: 1991
52 Episódios (2 Temporadas)
Curiosidade: Originalmente uma tira franco-belga, criada em 1947, Lucky Luke usava um cigarro na boca, mas depois de alguns anos os autores decidiram deixá-lo com uma palha. A atitude foi reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que chegou a dar uma medalha aos autores em 1988.

Speed Racer
Criado em: Abril de 1967
Encerrado em: Março de 1968
52 Episódios
Curiosidade: Go Mifune é o nome original de Speed Racer (que curiosamente nunca diz seu nome original a ninguém), o sobrenome Mifune é uma homenagem a Toshiro Mifune, ator japonês que participou do filme Os Sete Samurais (1954,Akira Kurosawa)

De Volta ao Agora...

Depois de muita pesquisa tentando reunir informações legais sobre desenhos tão icônicos e tão saudosos,eu só posso agradecer a vocês leitores por acompanharem o Catadores de Relíquias e permitirem que eu possa realizar esse singelo mas sincero trabalho. Espero que tenham gostado desse post e se puderem assinem o feed do blog. Curtam nossa página no Facebook ( https://pt-br.facebook.com/CatadoresDeReliquias ), escrevam seus comentários aqui em baixo e e-mails no catadoresdereliquias@hotmail.com , dêem sua opinião sobre o que precisa melhorar ou não, temas que queiram ver aqui, ou mesmo temas ou itens que já passaram por aqui e que poderiam ser mais explorados. É isso ai peoples! Mais uma vez obrigado e BYE!

Meus 5 Minutos #1 - Square Enix na E3

FINAL FANTASY 7 REMAKE (COM DATA!) 03.03.2020!!!!!