Testando... 1 2 3! Testan... Chega!

Olá, olá Peoples e Peoplas da minha, da sua, da nossa rede mundial de computadores!
Eu sou Fabrício Barros e este é o Catadores de Reliquias, o blog mais temporalmente desorganizado das internets, trazendo hoje pra vocês um tema mais pessoal. Som na Rua!
E pra quem gosta de colocar a boca no trombone, deixe seu recado aqui nos comentários do blog, ou acesse e curta nossa página no Facebook para reclamar da vida, ou nos mande um e-mail se quiser um papo mais próximo e caliente: contato@catadoresdereliquias.com.br .

 Vamos agora para o trio elétrico!

Os Changemans teriam inveja...


Quem não gosta de música? Eu mesmo tenho poucas restrições musicais, antigamente eu não via com bons olhos o rap por exemplo, até meu irmão me apresentar alguns bons raps e eu agregar esse estilo musical a minha querida vidinha. Dai você me pergunta: vai ser um post sobre sua vidinha? Vai te catar!

Não, já dizia o Professor Pasquali.

Quando você está caminhando tranquilo, ouvindo sua playlist em seus fones de ouvido, sejam músicas ou podcasts (como eu faço), tento colocar o volume de maneira que o som dos eventuais carros e motos não atrapalhem minha compreensão do que escuto.

OK, tá e daí?

Dai, caro leitor, é que esse texto é um toque pra quem tem som no carro.(Que eu torço de coração para que alguém indique a um dono de carros barulhentos):

Som automotivo é para o CARRO, eu não quero ficar ouvindo sertanejo, rock, funk, axé ou que quer que seja a dois quarteirões de distância! Curte a música, legal. Tenta curtir pra você. A rua , as pessoas as vezes não querem ouvir o que você está ouvindo e mesmo se quisessem, não seria na altura absurda que você (sim você mesmo dono de carro que fica de tum tum tum tum pelas ruas parecendo um trio elétrico, é pra você que eu estou falando) escuta (e até por isso que estou escrevendo, porque duvido um pouco que ainda haja percepção auditiva numa pessoa dessas).

Mas o carro é meu, eu escuto e faço o barulho que quiser e além do mais a rua é pública! Pombas (não era isso, mas vocês entenderam, né)

Tudo bem, o carro realmente é seu e você faz o que quiser com ele, não vou discutir o que pode ou não pode se fazer com um objeto que você comprou (ou ganhou) e que lhe pertence (não sou pai, nem mãe de ninguém nesse quesito). Mas na parte de faço o barulho que quiser, não é bem assim não.

Respeito e limite  são duas coisas que quando ultrapassadas só causam descontentamento. Veja bem, caro dirigidor de carro, quando você passa pensando que está abalando geral, as pessoas no máximo só conseguem ouvir tum tum tum tum, você caro condutor de máquina de transporte urbano, não está abalando nada além, é claro da audição das pessoas na rua e a estrutura do seu carro que fica vibrando.

A rua realmente é pública.
Mas eu estou na rua, eu não sou público, pelo menos no sentido de coletivo, sou uma unidade, sou alguém que pode também ter opinião e ter opção de ouvir, sem fazer barulho,  o que quiser. O que eu quero aqui é falar que ouvir musica é direito de todo cidadão de todo ser humaninho nessa terra , qual música e que música lhe der na telha, só por favor meus caros pilotos terrestres de carcaças metálicas eu peço é que abaixem o volume. Música pode ser sim pra todos, poluição sonora, não.

Finalmentes:

Eu não pude me aprofundar no assunto, mas quero voltar a isso com um pouco mais de tempo  e recursos de informação melhor. Por enquanto, é o que temos pra hoje peoples. Espero que possam ter uma boa semana, ou final de semana, ou feriado, ou qualquer dia que estiverem lendo esse texto. Duvidas, chacotas ou mesmo pedidos podem ser feitos nos contatos lá em cima no texto. Abraços e BYE!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

S04E07 - Rádio dos Catadores (com muito Errê)

Aviso Aos Navegantes!!! Novidades À Vista !!!!

Review no Porão 04 - 7 Wonders