sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

S03E13 - Coelhos, Dinossauros e um Gato Galáctico viajante!

Buenos dias, tardes e noites pessoas!
Mais um Catadores de Relíquias falando sobre o Ronaldo (não do fenômeno)... Não conhece?  Mas já deve ter ouvido pelas internets pelo menos um : Oi Cueio! Ou a música do pudim amassado... Sim pessoas, temos a honra de falar sobre o canal do Gato Galáctico!

Redes Sociais e Links Interessantes:
Catadores de Relíquias no Facebook
Bicho de Estante no Facebook
Balaio de Noob no Facebook
Gato Galáctico no Facebook
Gato Galáctico no Youtube
Catadores de Relíquias no Youtube
Balaio de Noob no Youtube

Escute neste episódio:
- Os recados mais rápidos já feitos neste blog
- Quem gosta de Rouge
- Quem gosta de Br'oZ
- Quem é o gato Galáctico
- Piadinhas desnecessauras
- Extras Sensoais
- Isso e um teco a mais, só aqui no Catadores de Relíquias!


Download :C (Baixe aí!)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

CDR_Shot 04 - O Regresso

Resenha de O Regresso:

    O ano é 1820,  numa região ainda selvagem e pouco acolhedora dos  Estados Unidos, caçadores de peles estão terminando seu trabalho, recolhendo e tratando as últimas peças a beira de um rio.  A paisagem  é decorada pelo entardecer e pelos primeiros ventos frios anunciando um inverno vindouro… Eu sou Fabrício Barros e hoje vou falar sobre o filme O Regresso.  Sejam bem vindos ao CDR Shot.

(vinheta)

    Cansado e coberto de peles cruas estou aqui para avisar que está resenha é uma opinião pessoal e se reserva a não fazer spoilers,  e recomendamos, além de uma boa dose de conhaque, que também não dêem spoilers nem aqui, como na vida.

    Sobrevivência,  vingança,  faroeste,  creio que cada uma destas palavras paradoxalmente definiriam e não definiriam o longa,  diga-se de passagem com 156 minutos, de Alejandro Iñárritu. Tudo isso são elementos do filme em separado mas que permeiam todos ao mesmo tempo a trama. E você é conduzido de um a outro pelo enredo, baseado no romance de  Michael Punke e escrito pelo próprio diretor em parceria com Mark L. Smith (de Temos Vagas); pelos cenários nevados captados com esmero e perfeição por Emmanuel Lubezki, com planos sequência estonteantes e contemplativos na medida exata, meio que ditando o ritmo do filme entre tempestades e bonanças; pela música eficiente e respeitosa de Ryuichi Sakamoto, pelas interpretações de Tom Hardy e seu John Fitzgerald, egoísta, complexo e marcado por traços duros que se refletem em seu comportamento e de Leonardo Di Caprio como Hugh Glass, o estrangeiro fechado,  marcado por perdas e escolhas duras, criando um filho mestiço numa época alastrada de preconceito.

    E por falar dos dois,respectivamente Fitzgerald e Hugh, desde o início da trama os dois são colocados em lados opostos e o filme não nega em momento algum o que Fitzgerald é e dá sua razões durante a história, criando essa antipatia entre os personagens de modo abrupto o que pode parecer forçado para alguns como já ouvi enquanto fazia este texto.

Incidentes ocorrem deixando Hugh incapacitado, e ele mesmo sendo o guia do grupo de caçadores de peles, depois de algum tempo tem de ser deixado pra trás,  junto de Fitzgerald,  seu filho Hawk e um jovem e inexperiente caçador chamado Bridger.   Deixado à sorte depois de ver seu filho ser morto, abandonado num ambiente cada vez mais inóspito por conta do inverno que se aproxima cada vez mais e uma distância considerável de algum local civilizado, Hugh Glass é impulsionado pela perda do filho e pela sede de vingança, partindo. Sobrevivendo.

    Tudo isso acontece no máximo no primeiro quinto do filme, não acredito que isso retire algum gosto pelo mesmo, já que essa é a premissa inicial. A sobrevivência está a todo tempo batendo a porta, é um sentimento constante e quase invasivo. As câmeras acompanham tão próximo os personagens que suas respirações transparecem na tela, dando um sentido de tensão enorme.

FINALMENTES:

    O Regresso é um ótimo filme, que merece suas ótimas críticas tanto de especialistas quanto do público,  que está aceitando bem o filme até o momento em que escrevo este texto, não vou expor minha opinião sobre Oscares,  não sou de apostas, mas posso dizer que este é um dos mais belos filmes que já assisti, que me envolveu e deu um outro olhar sobre o que é a natureza em si, e quão poderosa ela é.

Nota: 9.2

    Mas não deixe de reclamar conosco sobre nevascas, animais selvagens e índios furiosos aqui pelo nosso email que é: emailcatadoresdereliquias@gmail.com,  curta nossa página no Facebook se ainda não o fez e não posso esquecer que hoje temos neste post, as indicações do que nossos amigos do Balaio de Noob e do Bicho de Estante fizeram está semana. Dêem uma olhada também. Este texto e todos os outros conteúdos estarão no post.  Então é isso,  enquanto respirar, continue  lutando e Bye! 



Download :D (baixe aí ^^b)


E Nesta Semana:

Balaio de Noob nesta semana
Bicho de Estante nesta semana

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

S03E12 - Jukebox K Pop de Carnaval !!!

Carnaval, tempo bonito de se esbaldar nas folias e nas noites quase infindáveis, e nós estamos aqui, indo ainda contra a maré, para trazer MAIS UM Catadores de Relíquias em um formato que já trouxe saudades: Jukebox!

E esta semana saiu mais um CDR Shot, confira aqui.

Escute neste episódio;
- Sobre androgenia (?!)
- Sobre pronuncias erradas
- Sobre coreano nórdico e sulista
- Nossos dois centavos sobre cinema nacional (!!)
- Extra ! (Então escute até o final)
- Ah é, tem música de qualidade também!
- Isso e um teco a mais aqui, nos Catadores de Relíquias!!

Redes Sociais e Links Relacionados:
- Email do Catadores de Relíquias: emailcatadoresdereliquias@gmail.com
- Email do Bicho de Estante; bichodeestante@gmail.com
Balaio de Noob
Bicho de Estante no Facebook
Catadores de Relíquias no Facebook
S02E12 - Nossa Primeira Jukebox
S03E08 - Nossa Segunda Jukebox
- Sete Epifanias no Clube dos Autores * O preço dito no podcast está errado, o e-book no Clube dos Autores é R$ 11,84.
Coisas do Thiago no Youtube
Catadores de Relíquias no Youtube



Download :D (Baixe aí, meu rei!)

CDR Shot 03 - Soul Gambler

Resenha - Soul Gambler

Há momentos na vida em que nos vemos diante de escolhas, algumas simples, outras mais complexas... Mas e se pudessemos conrolar o resultado de nossas escolhas, manipular a realidade e nosso destino . O preço, coisinha simples, sua alma. Eu sou Fabrício barros e hoje vou falar sobre o jogo Soul Gambler, seja bem vindo ao CDR Shot!

(vinheta de abertura)

Tentados por uma mensagem feliz antes de vender nossa alma ao mochila de criança, viemos aqui dizer que esta resenha se reserva a não produzir spoilers e recomendamos aos nossos ouvintes/leitores que também não o façam nem nos comentários deste post ou na vida. Mas vamos lá.

Soul Gambler é um jogo, ou sendo mais exato, uma hq interativa desenvolvida pela Tlön Studios, que conta a história de Fausto, um rapaz que se encontra numa vida tediosa e monótona. E que depois de um encontro inusitado tem a chance de mudar tudo, mas talvez o preço seja alto a se pagar.

Sim , pessoas. Esta é uma hq interativa que trata de pactos e venda de almas, com uma cotação bem flutuante se me permitem a opinião. Mas para fins de escrita/fala vamos chamá-lo de jogo. Você não tem comandos de fato, mas pode escolher no decorrer da estória, quais decisões nosso protagonista tomará, o que o inclui na categoria point and click. Um sistema de atributos dá uma pitada de rpg, nos dando várias possibilidades, vou me explicar melhor: Logo no inicio, há quatro atributos, sendo eles, Saúde, Manipulação, Inteligência e Carisma e uma quantidade de pontos fixa para distribuir entre eles. Certas ações ou desenrolares de trama dependem de um certo atributo ou outro. O que me fez jogar por algum tempo explorando as já supracitadas variações.

O gameplay não é variado como num point and click tradicional, já que você fará as escolhas em pontos chave,mas a história envolve e nos cria curiosidade em saber como acaba. Geralmente o jogo dura mais ou menos uma hora. O que dá uma sensação de que podia ter mais. Os vários caminhos funcionam como trilhas alternativas à trama principal, que sempre é retomada.

Visualmente ele é interessante, lembrando hqs clássicas com um clima próprio, passamos por vários locais, com direito até a ares internacionais, e bem construído, ajudado pelos sons e trilha sonora bem produzida.

FINALMENTES:

Soul Gambler é um jogo gostoso, simples e com uma história que me fez pensar sobre livre arbítrio,sobre o que vale a pena na vida e algumas decisões que tomamos na vida. A variedade de caminhos é interessante, a busca por achiviements (que por acaso são 24, e podem ser obtidos em algumas jogatinas)e como obter um novo final várias vezes, são uma sensação quase unanime a todos que já jogaram. Recomendado. E se fosse colocar um ponto negativo seria a curta duração do jogo. Para aqueles que decoram ou tem pressa, tranquilamente conseguem chegar ao final em meia hora (o que não aprovo pois a história merece atenção)

NOTA: 7,0

Qualquer divida, apólice, nota promissória ou cobrança via correio sobre a alma de vocês pode ser mandada para nosso email: emailcatadoresdereliquias@gmail.com ou em nossa página no Facebook. Lembrem-se de vender na alta e comprar na baixa e Bye!


Download :D (baixa aí!)



Cabine Ocupada #420 - Sobre Pokemon e O Fim

Nosso último Cabine Ocupada falando sobre o que se passou, o que aprendi (na verdade isso eu não falei não) e o que penso sobre o novo Pokem...