sexta-feira, 31 de maio de 2019

Quase Semi Profissional #08 - Controle

O vídeo dessa semana é para falar sobre Decks Controle: como vivem, como se locomovem, como se reproduzem e como funcionam. Aqui, no Quase Semi Profissional...



O roteiro deste episódio estará no Blog, só visitar e ter acesso ao texto e aos links relacionados no vídeo.



Deck Marchesa Control:

https://www.ligamagic.com.br/?view=decks/view&deck=569692



Baral Control:

https://www.ligamagic.com.br/?view=decks/view&deck=900354



Teysa Control:

https://www.ligamagic.com.br/?view=decks/view&deck=666267



Anafenza Control:

https://www.ligamagic.com.br/?view=decks/view&deck=1101348



Email - emailcatadoresdereliquias@gmail.com

Facebook - https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias/

Instagram - https://www.instagram.com/cdr_podcast/

Twitter - https://twitter.com/cdr_podcast







Bom dia, boa tarde e boa noite, sejam muito bem vindos a mais um Quase Semi Profissional. Eu sou Fabrício Barros e quero antes de tudo agradecer o apoio que vocês tem nos dado através de feedback e  mensagens que recebo. Valeu mesmo gente!


E hoje quero continuar o assunto do último video, começando a falar sobre um tipo de deck de Commander, bem, não só de commander, mas como nosso foco aqui é o Commander então ok, continuando: um deck que eu acho interessante que são os decks Control, ou, abre aspas, os decks chatos que seguram o jogo quase infinitamente e ganham jogando sozinho no fim das contas, fecha aspas.

Lembrando duas coisas aqui, o roteiro deste vídeo estará disponível como postagem no blog, e segunda coisa é que qualquer definição que disser aqui não é algo realmente definitivo e nem uma verdade absoluta, mas sim minha visão sobre um tipo de baralho. Feito o disclaimer, bora falar um pouco sobre controle.

Pergunta 1: Controle quer dizer ser chato do começo ao fim do jogo?
Resposta: Não necessariamente, assim como qualquer outro baralho, esse estilo de jogo geralmente é montado em cima de uma idéia, do como vou vencer o jogo. E os decks controls priorizam a maneira de se ganhar o jogo, montando seus combos ou suas jogadas de maneira a preparar terreno para o Gran finale.

Eu mesmo já vi decks de controle que estava suportando toda a mesa, mas não tinham caminhos para obter a vitória. Já vi decks que agressivamente não deixam os oponentes criarem espaço e ganham causando dano de combate. Já vi decks caóticos controlarem o campo e goblins brilharem. 

O controle está mais no como criar um campo favorável para você e desfavorável ao restante. 



Vamos lá: decks Control funcionam mais lentamente que decks agressivos, aqueles Aggros que põem pressão sobre o oponente desde o começo do jogo. O grande ponto é que basicamente, um bom deck Control, tem de primeiramente estabelecer um campo favorável para florescer.

No ambiente em que jogo, pelo menos, vejo alguns decks que investem em anulações, em montar uma boa base de mana rapidamente no começo, e no meio do jogo começar a colocar as engrenagens para funcionar. 

No meu deck da Zedruu por exemplo, eu tento manter os oponentes longe de mim por meio de encantamentos ou criaturas que façam os oponentes pagarem algo em troca de me atacarem, eu gosto de brincar que eu tento me tornar menos apetitoso no campo de batalha atacando os recursos dos oponentes. Mas deixe-me dar um exemplo do que acontece comigo.

Como numa boa parte do tempo, meu campo é composto por poucas criaturas e não tenho tanta presença de campo, eu invisto em cartas como Propaganda, Prisão Fantasmagórica, Musa Nascida do Vento, Kazuul Tirano dos Penhascos, e outras mais que no momento do ataque pedem que seja pago algum valor de mana. Um pedágio para passar pelo meu campo e me acertar. 

Isso no mínimo faz alguns oponentes não colocarem todas suas forças para brigar, já que atacar a mim tem um gasto de recurso grande. E meio que atrasa a estratégia futura do oponente.

Já tem decks que investem em retirar todas as ameaças do campo com cartas de remoção em massa, alguns exemplos que já usaram em jogos são Cólera de Deus, Cair sobre os Pecadores, Renascimento Phyrexiano, Vingança de Akroma, Ira de Kaya, Veredito Supremo e muitos mais que não lembro agora mas eu provavelmente esteja colocando aí na tela para vocês verem.

Tá ok, bacana... Mas porque de tudo isso. Pra que tudo isso?

Impedir a movimentação dos oponentes ou reduzir as ameaças ou recursos deles são em certa forma um ganho de tempo para que a SUA estratégia aconteça. Tem decks de controle que vão segurando os avanços inimigos enquanto compram várias cartas e procuram peças de combos. Combos esses que acabam com o jogo caso se concretizem. 

Outros definham as criaturas oponentes pra que com um campo sem riscos, trazer suas próprias  criaturas e iniciar ataques potentes daí em diante para ganhar o jogo.

Então decks Control basicamente tentam criar um campo favorável para que possam fazer seus combos, ou chegar numa condição específica de vitória ou mesmo descer criaturas que pendam o equilíbrio do jogo pro lado deles. E pra isso tendem a investir em mais de uma carta com funções semelhantes. 

Talvez você queira fazer seus artefatos custaram mais barato e coloca várias cartas que diminuem o custo delas ou mesmo replicar algum efeito que drena a vida dos oponentes. Resumindo, você cria redundância usando cartas que tenham habilidades parecidas e que possam aparecer com mais frequência em suas compras durante o jogo, garantindo um pouco de consistência na sua estratégia.

Um exemplo legal por exemplo é o Artista do Sangue, quando ele ou outra criatura morre no campo de batalha, ele causa um ponto de dano no oponente e você ganha um ponto de vida. Mas existem outras criaturas que fazem coisas parecidas e que podem entrar num baralho com essa ideia, como o Degolador de Zulaport ou a Celebrante Cruel. 

Veja, que no Commander você tem uma chance em 99, parênteses aqui, sim 99 porque o Comandante vai estar sempre disponível na zona de Comando na melhor ou pior das hipóteses, fechamos parênteses e  voltando uma em 99 de encontrar uma dessas cartas em específico, mas as chances aumentam um pouquinho se você tem mais cartas que façam algo parecido.

Então você tenta se manter no jogo  segurando alguma ameaça a sua estratégia e procura meios de vencer enquanto os oponentes tentam sair das situações que você criou.

Alguns exemplos de decks controls de Commander são Brago, Rei Eterno/ Gaddock Tegg/ Baral/ Zedruu do Grande Coração/Marchesa. Eu vou deixar na postagem do blog, links para algumas builds desses baralhos do site da LigaMagic. 

Bem, se eu fosse dar alguma dica ou ideia sobre decks de controle. Eu falaria pra pensar em como você vai ganhar com esse baralho. E que maneiras você tem disponível para abrir caminho pra isso. Já que como repeti algumas vezes, baralhos desse tipo precisam de algum suporte para funcionar, talvez você tenha aí uma grande idéia de Commander que vai fazer e acontecer mas não pensou em como fazer essas coisas acontecerem com os oponentes em campo. 

E taí uma coisa que pensei agora, decks de controle, creio que mais do que os outros tipos de baralho, pedem que você esteja atento aos seus oponentes de maneira opressiva. Uma jogada perigosa que possa ser anulada ou uma criatura que pode por tudo a perder, que eventualmente vai ser destruída ou impedida de algo. É um baita exercício de observar os oponentes turno por turno. 

Por enquanto é isso então. Lembrando o que disse no começo do vídeo: essa definição de deck de controle não é algo definitivo, você pode ter ambientes de jogo que fazem controle de outras maneiras e até com a força de um deck Aggro, colocando pressão na mesa com ataques, por exemplo. 

Então mais uma vez muito obrigado pela sua atenção, se gostou do vídeo e quer mais disso, comente aqui embaixo, se achou a explicação confusa, comenta aqui embaixo, se não é nada disso e sua opinião é totalmente diferente, comenta aqui embaixo e  compartilhe o vídeo, acho que isso em certa maneira é mais interessante que o like. Se quiser deixar o like ou deslike, tranquilo... 

Agradecemos sempre todo o apoio de vocês, sejam bonzinhos, bebam água, façam exercícios quando dispostos e bye

sábado, 25 de maio de 2019

Quase Semi Profissional #07 - O que é Commander?





Um vídeo tentando explicar o que é commander e as diferenças com o formato mais "formal" do Magic: the Gathering.



Email - emailcatadoresdereliquias@gmail.com

Facebook - https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias/

Instagram - https://www.instagram.com/cdr_podcast/

Twitter - https://twitter.com/cdr_podcast



Se puder, se quiser e se for bacana, COMPARTILHE este vídeo; pode dar Like, Dislike, mas principalmente COMPARTILHE O VÍDEO se você gostou, se você não gostou e quer mostrar o quão ruim esse vídeo é, ou mesmo COMENTE o que achou de bom e ruim para que possamos melhorar em vídeos futuros. Valeu!

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Quase Semi Profissional #06 - Deckbuilding





Um vídeo para falar sobre baralhos, um pouco sobre mim e os baralhos e algumas coisas mais. E tem indicação. 



Atualmente a Carolina Moraes trabalha com o canal Magic: the Gathering Brasil. O canal Multiverso Magic acabou, e o link abaixo é da playlist dela explicando as bases de como se montar um deck, e o outro é do canal do Magic: the Gathering Brasil. Aproveitem, e valorizem o conteúdo nacional relacionado a Magic.



Canal Multiverso Magic: 

https://www.youtube.com/watch?v=-wSr65Z4cp4&list=PLjITAMN7xsLp6G-epCC_zP3u1dL-o5F3i&index=1



Canal Magic: The Gathering Brasil:

https://www.youtube.com/watch?v=ofCPn_edwXM



Email - emailcatadoresdereliquias@gmail.com

Facebook - https://www.facebook.com/CatadoresDeReliquias/

Instagram - https://www.instagram.com/cdr_podcast/

Twitter - https://twitter.com/cdr_podcast


Meus 5 Minutos #1 - Square Enix na E3

FINAL FANTASY 7 REMAKE (COM DATA!) 03.03.2020!!!!!