12 Grandes Mulheres da Ficção no Dia Internacional da Mulher


Muitos, erroneamente, consideram o 8 de Março como só uma data de homenagens às mulheres, mas, diferentemente de outras datas, ela não foi criada pelo tino comercial, e tem uma ideia mais profunda e séria... hoje a data é cada vez mais lembrada como um dia para reivindicar igualdade, aproximando-se de sua origem na luta de mulheres que trabalhavam em fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa.

A origem da data escolhida para celebrar as mulheres tem algumas explicações: No Brasil, é muito comum relacioná-la ao incêndio ocorrido em Nova York no dia 25 de março de 1911 na Triangle Shirtwaist Company, quando 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens, o que trouxe à tona as más condições enfrentadas por mulheres na Revolução Industrial.

Mas existem registros anteriores a esse episódio que trazem referências à luta de mulheres para que houvesse um momento dedicado às suas causas dentro do movimento trabalhista... Se fizéssemos uma linha do tempo dos primeiros "dias das mulheres" que surgiram no mundo, ela começaria com a grande passeata das mulheres em 26 de fevereiro de 1909, em Nova York. Em agosto de 1910, a alemã Clara Zetkin propôs em reunião da Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas a criação de uma jornada de manifestações.

Não era uma questão de data específica. Ela fez declarações na Sociedade Internacional Socialista com uma proposta para que houvesse um momento do movimento sindical e socialista dedicado à questão das mulheres. A situação da mulher era muito diferente e pior que a dos homens nas questões trabalhistas daquela época. A proposta de Zetkin, segundo os registros que se tem hoje, era de uma jornada anual de manifestações das mulheres pela igualdade de direitos, sem exatamente determinar uma data. O primeiro dia oficial da mulher seria celebrado, então, em 19 de março de 1911.

Em 1913, as mulheres já protestavam pelo direito de votar nos Estados Unidos; nessa época, eram frequentes os protestos também por melhores condições de trabalho.

Na Rússia, em 1917, milhares de mulheres foram às ruas contra a fome e a guerra; a greve delas foi o pontapé inicial para a revolução russa e também deu origem ao Dia Internacional da Mulher.
Naquele dia, cerca de 15 mil mulheres marcharam nas ruas da cidade por melhores condições de trabalho - na época, as jornadas para elas poderiam chegar a 16h por dia, seis dias por semana e, não raro, incluíam também os domingos.  Enquanto isso, também crescia na Europa o movimento nas fábricas. O protesto aconteceu em 23 de fevereiro pelo antigo calendário russo - 8 de março no calendário gregoriano, que os soviéticos adotariam em 1918 e é utilizado pela maioria dos países do mundo hoje.

O Dia Internacional da Mulher só foi oficializado em 1975, ano que a ONU intitulou de "Ano Internacional da Mulher" para lembrar suas conquistas políticas e sociais conquistadas pelas mulheres. Esse dia tem uma importância histórica porque levantou alguns problemas que não foram resolvidos até hoje como a desigualdade de gênero, que permanece até hoje. As condições de trabalho ainda são piores para as mulheres. Historicamente foi fundamental. E assim, mulheres de todo o mundo ainda fazem passeatas e protestos por direitos iguais na semana do 8 de Março. No mundo inteiro, a data ainda é comemorada, mas ao longo do tempo ganhou um tom comercial em muitos lugares.

O dia 8 de março é considerado feriado nacional em vários países, como a própria Rússia, onde as vendas nas floriculturas se multiplicam nos dias que antecedem a data, já que homens costumam presentear as mulheres com flores na ocasião.

Mas e na ficção? Neste mês, o Catadores vai fazer posts semanais com listas de personalidades femininas nas mais variadas mídias e começamos com doze personagens femininas marcantes da ficção, seja cinema, quadrinhos ou jogos, lembrando que esta lista não tem uma ordem crescente ou decrescente, todas tem sua influência e importância dentro da cultura pop. Então sem mais delongas, chega mais!

1. Mulher Maravilha

Um ícone da força e garra das mulheres, a personagem começou a ser publicada em quadrinhos nos anos 40, é uma personagem que evoluiu com o passar do tempo com crescente determinação e carisma que atravessou midias, com uma série em 1975 protagonizada por Linda Carter e filmes da personagem protagonizada pela atriz Gal Gadot.

2. Imperatriz Furiosa, de Mad Max: Estrada da Fúria

Nas terras arrasadas em que se passa Mad Max: Estrada da Fúria, conhecemos Furiosa como uma personagem que toma a frente da história, tentando mudar o rumo de um sociedade em decadência fazendo o que pode para combater a tirania vigente. Desde a aparência às atitudes da personagem tem um destaque imenso na trama e força sem igual, que guiam Max em seu próprio arco a fazer suas escolhas durante o filme. 

3. Trinity, de Matrix

Em 1999 quando Matrix estreou nos cinemas, Trinity virou o simbolo de mulher forte, lutando contra a tirania das máquinas ao lado de Neo e Morpheus em cenas de tirar o fôlego carregadas de muito bullet time e rodopios de câmera, que não sexualizavam a personagem mas destacavam toda a técnica e poder em cada movimento dela. Merecidissimo estar nessa lista.

4. Matilda, de Matilda

Matilda (interpretada por uma fofa Mara Wilson) é uma garota inocente, esperta e inteligente. Com essas qualidades ela enfrenta corajosamente a mão de ferro da diretora da escola, a senhora Agatha Trunchbull (interpretada por Pam Ferris), que faz e desfaz no dia a dia da escola maltratando alunos e professores por puro capricho. Ao descobrir que possui poderes mágicos, Matilda se põe a frente de todos para proteger aqueles que gosta. 

5. Hermione Granger, da saga Harry Potter

Inteligente, aplicada e com um raciocínio rápido, Hermione Granger (interpretada por Emma Watson) vai mostrando todo seu valor durante a saga literária de Harry Potter, em meio às próprias inseguranças e medos juvenis ela se supera, arrebatando uma legião de fãs que se inspiram até hoje na mente afiada, independência,  perspicácia e força de vontade da personagem criada por J. K. Rowling.

6. Merida, de Valente

Mérida exala liberdade em muitos sentidos sabendo o que quer fazer e o que gosta de fazer, em seus pensamentos e visão de como as coisas deveriam ser. Sua aventura em Valente é cheia de atitude e de transformações, que a tornam mais consciente de suas limitações e do que pode fazer por aqueles que ama, com coragem e astucia.

7. Nyota Uhura, de Star Trek

Nichelle Nichols, interprete da personagem Uhura, foi e é uma pessoa marcante na história , sua presença na série de TV Star Trek, foi revolucionário em várias medidas por sua representatividade e pôr em foco personagens femininas em produções televisivas da época com destaque, não só meras coadjuvantes, mas com densidade dentro da trama. 

8. Leia Organa, de Star Wars

Princesa, usuária da Força, mãe, general da Rebelião, é uma pessoa forte dentro do universo Star Wars, sendo uma figura de sustentação para o grupo, respeitada e com altivez impar. Lutando numa dispendiosa luta contra o Império a décadas e sem esmorecer tenta fazer o melhor para os seus e pela paz, encarando diversos perigos.

9. Lara Croft, da série de jogos Tomb Raider

Do sexy symbol nos anos 90 (muito por como revistas de videogame da época exploravam a ideia), nos primeiros jogos da série para uma mulher com garra e determinada contra as intempéries entre explorações, houve uma grande evolução tanto na aparência de Lara, quanto na visão sobre a personagem e na abordagem de sua personalidade, sendo levada para as telas do cinema nos anos 2000 e num revival numa trilogia iniciada em 2013.

10. Samus Aran, da série de jogos Metroid

Na época do primeiro Super Metroid, qual a surpresa quando depois de viver diversas aventuras e de enfrentar inimigos muito maiores e opressores, você jogador, era recebido com um Muito Obrigado vindo de uma jovem loira, despida de sua armadura tecnológica incrível, feliz por cumprir seu dever. Samus é destemida e tem um senso de dever grandioso, lutando contra as ameaças espaciais com bravura. 

11. Beatrix Kiddo, de Kill Bill

Beatrix Kiddo é uma personagem que sofre diversas perdas, mas se reergue em meio a duras batalhas, arriscando sua vida para dar o troco em todos que lhe fizeram mal. Beatrix é intensa em suas convicções e determinação quase infinitas diante das adversidades e não poderia faltar nesta lista. 

12. Mônica, dos quadrinhos da Turma da Mônica

Nossa última representante aqui nesta lista é uma menina forte, fisicamente inclusive, mas que também é doce e que valoriza as amizades com a turminha do bairro do Limoeiro, sem perder a carisma e a inocência da infância, Mônica é uma personagem feminina memorável.

Nossas Redes Sociais:
email - emailcatadoresdereliquias@gmail.com
Face - facebook.com/CatadoresDeReliquias
Insta - @cdr_podcast

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

S03EXT - Extra Time: Anime Arts 2015

Sobre... Jojo´s Bizarre Adventure - Phantom Blood

S04E02 - K- Pop 2 - A Missão!!!